O Formspring chegou para ficar

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

formspring-20130317123311O Formspring.me apareceu na metade de dezembro e vem se tornando a nova febre das redes sociais, principalmente no Brasil.

A premissa do Formspring.me é simples e curiosa: ao criar uma conta no site, você recebe um endereço com uma caixa de formulário em que as pessoas podem fazer perguntas, anônimas ou não. A maioria, contudo, prefere não se identificar. A brincadeira lembra, de certa forma, aqueles cadernos de perguntas capciosas que rodavam nas mãos dos jovens nas escolas até o fim dos anos 90 (e que provavelmente foram mortos pelas redes sociais – será?), mas com o benefício do anonimato. Além disso, é possível seguir os perfis (como o twitter) e acompanhar as respostas de quem lhe interessa.

Quanto às perguntas, o formspring contém duas formas: uma delas, diferente de postagens no twitter, é possível você fazer perguntas sem estar logado ou mesmo cadastrado no site. Estando com o login realizado, é possível escolher se deseja que o “entrevistado” saiba que é você quem pergunta ou não.

O site se auto explica sendo uma rede social de “enviar e receber perguntas anônimas, e aprender mais sobre as pessoas que você achar interessante, seguindo as suas respostas”. O formspring pode se conectar e andar em parceria com suas contas de rede social (Twitter, Facebook e Tumblr) ou blog para que você possa publicar suas respostas e compartilhá-las com os amigos.

Com todo o “jeitinho” que conhecemos, brasileiros já se encarregaram de criar a versão nacional do site, é o “Me Pergunta” (www.mepergunta.com.br). A versão tropicalizada do formspring tem idêntica função do precursor americano.

Passado o primeiro mês da nova febre virtual, podemos observar o site sendo usado de uma maneira interessante para a população em geral. Empresas e órgãos públicos estão usando o formspring como ouvidoria e SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor). O Governo de São Paulo, em uma atitude muito válida, criou seu formspring (http://www.formspring.me/governosp) , as perguntas são as mais variadas possíveis e são muito bem respondidas e explicadas. Outro caso interessante é do site de apostas Gambolão (um dos meus maiores vícios: www.gambolao.net), o formspring é usado como FAQ (Frequently Asked Questions, que significa Perguntas Frequentes). Além das explicações sobre o site em seu manual, quem tiver mais alguma dúvida basta acessar o formspring do bolão (http://www.formspring.me/Gambs) e tirar suas dúvidas.

O fato é que o formspring conseguiu um espaço que ainda não tinha sido abordado dentro do vasto campo de redes sociais e por mais que digam que ele fomenta a timidez (por causa das perguntas anônimas), o site chegou para ser um grande atrativo e pessoas visionárias poderão usá-lo a seu favor, como muitas fizeram com o twitter.

Anotem o meu e perguntem a vontade: http://www.formspring.me/FeCunha

Nota – Parece que minha aposta deu errado: Formspring será encerrado no dia 31 de março de 2013

Texto de Fernando Cunha ©

4 comentários em “O Formspring chegou para ficar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×