Saudade

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×
Fê Cunha
Uma dos sentimentos mais duros é a saudade. Saudade de quem se foi, saudade de quem veio, foi e logo voltará, saudade do tempo que passou, que ficou no passado e que agora é lembrança. Muitas vezes a saudade tem reflexos de solidão, de amigos, namorado (a), familiares, ou seja lá o que for, pessoas ou coisas queridas que gostaríamos de ter por perto, mas não temos.
Muitas frases são sábias como no caso da distância que atrapalha relacionamentos, “A distância diminui as paixões medíocres e aumenta as grandes, assim como o vento apaga as velas, mas atiça as fogueiras.”. Isso até é verdade, mas dentro disso tudo com certeza haverá dias e dias de tristeza por causa da tal saudade. A casa da saudade é lá na memória que guarda momentos felizes que ficaram para trás. Eta vida, será que a saudade não existisse seria melhor? Talvez nem tivesse graça também, não é? Sei lá… Uma boa frase de Don Duarte. “A saudade é um sentimento do coração que vem da sensibilidade e não da razão.”. Pura verdade.
Notícia:
Uma lista compilada pela empresa britânica Today Translations com as opiniões de mil tradutores profissionais coloca a palavra “saudade”, em português, como a sétima mais difícil do mundo para se traduzir.
A diretora da Today Translations, Jurga Ziliskiene, explica: “Provavelmente você pode olhar no dicionário e […] encontrar o significado”, disse. “Mas, mais importante que isso, são as experiências culturais […] e a ênfase cultural das palavras.”

Para terminar, um poema.

Saudade
(Tereza Cordioli)

Saudade sentimento que arde
Ao passar por ti, o corpo invade
Sem maldade, lhe rouba a paz
Molha o rosto com lagrimas que trás

Sorrir nesta hora se torna arte
Fingir ser feliz, também faz parte
De quem sente saudade voraz
E de te esquecer é incapaz

O seu olhar me traz alegria
O doce canto na aurora
Que por dentro me devora

A presença saudosa transcende em sonho
Contemplar-te dissipa o pranto
Pois meu amor é metamorfose do eterno

*Peço perdão pela pouca inspiração!

 

Texto de Fernando Cunha ©

Um comentário em “Saudade

  • fevereiro 15, 2007 em 10:27 am
    Permalink

    “Saudade é basicamente não saber.
    Não saber mais se ela continua fungando num ambiente mais frio.
    Não saber se ele continua sem fazer a barba por causa daquela alergia.
    Não saber se ela ainda usa aquela saia.
    Não saber se ele foi na consulta com o dermatologista como prometeu.
    Não saber se ela tem comido bem por causa daquela mania de estar sempre ocupada; se ele tem assistido às aulas de inglês, se aprendeu a entrar na Internet e encontrar a página do Diário Oficial; se ela aprendeu a
    estacionar entre dois carros; se ele continua preferindo Malzebier; se ela continua preferindo suco; se ele continua sorrindo com aqueles olhinhos apertados; se ela continua dançando daquele jeitinho enlouquecedor; se ele continua cantando tão bem; se ela continua detestando o MC Donald’s; se ele continua amando; se ela continua a chorar até nas comédias.
    Saudade é não saber mesmo!
    Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos;
    Não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento;
    Não saber como frear as lágrimas diante de uma música;
    Não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche.
    Saudade é não querer saber se ela está com outro, e ao mesmo tempo querer.
    É não saber se ele está feliz, e ao mesmo tempo perguntar a todos os amigos por isso…
    É não querer saber se ele está mais magro, se ela está mais bela.
    Saudade é nunca mais saber de quem se ama, e ainda assim doer;
    Saudade é isso que senti enquanto estive escrevendo e o que você, provavelmente, está sentindo agora depois que acabou de ler… “
    (Miguel falabela)

    ê saudade ….

    Beijos e bom carnaval Fezinho ;*

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×